Museu da Computação e Informática - MCI
www.mci.org.br

Logo atual

Do início da década de 60 até o começo dos anos 70, era enorme a insatisfação com a situação brasileira no setor tecnológico. Nessa época, todos os computadores no país era importados. No mesmo período, a Marinha comprou fragatas inglesas comandadas por computador. O almirantado espantou-se com o alto preço dos computadores em embarcações de combate com artilharia eletrônica. Um grupo de oficiais conseguiram que parte do equipamento passasse a ser fabricado por empresas brasileiras, reivindicando a criação de uma indústria de eletrônica digital.

Em 18 de julho de 1974, a E.E. Eletrônica, o BNDE e a inglesa Ferranti associaram-se para formar a COBRA - Computadores e Sistemas Brasileiros Ltda, empresa cuja história se liga estreitamente à política de informática no Brasil, foi a primeira empresa a desenvolver, produzir e comercializar tecnologia genuinamente brasileira na área de informática.

Primeiro logo Através de parcerias com a inglesa Ferranti e a americana Sycor Inc. a Cobra acumulou conhecimento técnico-industrial. Do início, quando tudo era novo e precisava ser desvendado, passou-se rapidamente ao desenvolvimento de tecnologia e geração de seus próprios produtos.

Percebendo a impossibilidade de competir com as gigantes estrangeiras na produção de equipamentos de grande porte, a indústria nacional procurava um espaço que permitisse seu desenvolvimento e auto-suficiência. A escolha do setor de mínis e micros prendia-se a uma razão muito forte. Ao contrário dos grandes computadores, o componente eletrônico principal desses equipamentos eram os chips, facilmente comprados no exterior.

Segundo logo O Cobra 530, lançado no início da década de 80, foi o primeiro computador totalmente projetado, desenvolvido e industrializado no Brasil. Nessa época foram lançados os modelos da mesma linha do C-530, como o C-520, C-540, C-480 e C-580, até chegar a linha X. Também foram lançados os primeiros microcomputadores de 8 bits - o Cobra 300, Cobra 305 e o Cobra 210, além de terminais remotos. Nessa fase, uma série de sistemas operacionais como o SOM, SOD, SPM e SOX (compatível com o Unix), e várias linguagens como LPS, LTD, Cobol e Mumps foram criadas. Em 1987, a Cobra havia lançado o XPC, o seu compatível PC-XT.

Na segunda metade da década de 80, o controle de preços e o aumento das despesas com os sucessivos planos econômicos descapitalizaram as empresas. Além disso, com o fim da reserva de mercado da informática, trouxe as gigantes mundiais do setor de informática. Foi um período em que muitas empresas nacionais sucumbiram. A Cobra buscou novos caminhos e tornou-se integradora de soluções tecnológicas e prestadora de serviços.

Terceiro logo No início da década de 90, a Cobra se afinou à tendência mundial de parcerias, dentre as quais a Sun Microsystems, IBM, Cisco Systems, Microsoft, Oracle e SCO. Por essa época, o Banco do Brasil passou a acionista majoritário da Cobra. No final dos anos 90, entrou firme e forte no mercado de serviços para a área bancária.

Equipamentos fabricados pela Cobra
Ano Equipamento Linha Descrição
  Cobra 700 Minicomputador Primeiro computador lançado pela Cobra, de tecnologia importada, era baseado no Argus 700 da inglesa Ferranti.
1977 Cobra 400 Minicomputador Os primeiros Cobra 400 eram o modelo Sycor 440 importados da empresa americana Sycor, pouco tempo depois a Cobra desenvolveu o Cobra 400 II. O Cobra 400 era um minicomputador baseado em microprocessadores 8080, da Intel.
1979 TD 200 Terminal Terminal inteligente de entrada de dados. Tinha 32 kB de RAM e duas unidades de disquete de 8 pol., densidade simples, e era baseado no microprocessador Intel 8080, de 8 bits.
1979 Cobra 300 Microcomputador Originário do TD 200, era um equipamento monoposto autônomo, memória RAM de 48 KB e disquete de densidade dupla, era baseado no microprocessador Intel 8080, de 8 bits.
1980 Cobra 530 Minicomputador
de 16 bits
Primeiro computador desse porte totalmente projetado, desenvolvido e industrializado no Brasil.
1981 Cobra 305 Microcomputador Um modelo mais avançado que sucedeu o Cobra 300, a memória RAM era de 64 KB e disquete de dupla face com 1 MB, era baseado no microprocessador Z 80A da Zilog, de 8 bits.
1982 Cobra 520 Minicomputador
de 16 bits
Era uma versão reduzida do Cobra 530.
1983 Cobra 540 Minicomputador
de 16 bits
 
1983 Cobra 210 Microcomputador Os programas aplicativos desenvolvidos para o Cobra 300 e Cobra 305 podiam ser utilizado pelo Cobra 210, tinha 64 KB de RAM e era baseado no microprocessador Z 80B, aceitava disco rígido Winchester de 5 a 10 MB.
  Cobra 480 Supermicro/Mini
de 16 bits
 
  Cobra 580 Minicomputador
de 16 bits
Era uma versão reduzida do Cobra 540.
  Cobra 1000 Supermini Computador fabricado sob licença da americana Data General.
  X-10 Minicomputador
de 32 bits
Baseado no processador Motorola 68010.
  X-20 Minicomputador
de 32 bits
Baseado no processador Motorola 68020.
  X-30 Minicomputador
de 32 bits
Baseado no processador Motorola 68030.
  X-3030 Minicomputador
de 32 bits
Baseado no processador Motorola 68030.
  X PC Microcomputador Primeiro microcomputador compatível com IBM PC/XT.
  X 386S Microcomputador Baseado no microprocessador Intel 80386.
  MP 486 EISA Microcomputador Microcomputador Medidata comercializado pela Cobra, baseado no microprocessador Intel 80486.
  MP 486XM Microcomputador Baseado no microprocessador Intel 80486 DX2.

www.cobra.com.br

Criado em: Nov/2001
Atualizado: 02/Ago/2004
Voltar    Início