Museu da Computação e Informática - MCI
www.mci.org.br

CP 300
CP 300 Fabricante: Prológica Ind. e Com. de Microcomputadores Ltda
País: Brasil
Linha: TRS-80
Compatibilidade: TRS-80 Modelo III
Ano de lançamento: 1983
Processador: Z80
Clock: 2 MHz
Memória RAM: 64 Kbytes
Memória ROM: 16 Kbytes

Para quem pretendia adquirir um microcomputador pessoal com todas as características básicas da unidade central do CP 500 (os dois usavam o mesmo processador e eram totalmente compatíveis em software básico e aplicativo), mas a preço bem inferior, a Prológica oferecia o CP 300. A empresa tinha como objetivo o usuário doméstico. Em sua configuração mínima, vinha apenas na forma de um console reduzido (caixa retangular cinza), com CPU, 64 Kbytes de RAM e 16 Kbytes de ROM, e um teclado mecânico simplificado (tipo "chiclete") com 54 teclas, maiúsculas e minúsculas.

Como se tratava de um equipamento modular, o CP 300 podia ser expandido aos poucos, conforme as necessidades do usuário. Um dos periféricos mais usados era um gravador cassete, para o armazenamento de programas e dados. Para a transferência de dados entre o micro e o gravador podia utilizar duas velocidades: 500 e 1.500 bauds.

Também era possível colocar porta de expansão para unidades de disquete e trabalhar com até quatro discos flexíveis de 5 1/4 polegadas, empregando esse sistema, tornava-se possível dispor de 720 Kbytes para armazenar programas e dados, as placas com circuitos de interface precisavam ser agregadas em gabinete externo, também existia porta paralela (impressora) e porta serial RS-232C, através da qual era possível colocar o CP 300 em comunicação com outros computadores que tinham a mesma interface. Devidamente programado, o equipamento era capaz de se comunicar com centrais de computação por telefone.

A fonte de alimentação do CP 300 era em uma caixa externa.

Apesar da configuração mínima, o CP 300 é totalmente compatível em software básico e aplicativo com o CP 500, inclusive interpretadores BASIC residente e de disco, e monitor. O CP 300 roda originalmente o BASIC level II, com drives instalado podia usar o DOS-500 da Prológica (TRS-DOS compatível), tal e qual o CP 500.


VÍDEO
Para visualização das informações, o CP 300 podia ser ligado a um monitor de vídeo monocromático ou à entrada de antena de uma TV doméstica comum (cores ou preto e branco) através de um cabo co-axial próprio.

A formatação do vídeo do CP 300 pode ser realizada por software, obtendo-se 16 linhas por 64 colunas (normal), 16 linas por 32 colunas (expandido) ou 48 linhas por 128 caracteres (gráfico).


PROPAGANDA
CP 300
Revista
Micro Sistemas
Nov/1983

Criado em: Jun/2001
Atualizado: 05/Jan/2002
Voltar    Início